A ressurreição "daqueles que foram degolados por causa do testemunho de Jesus e pela palavra de Deus",no início dos mil anos.

PARA ENTENDER E APRECIAR A 
MENSAGEM DE APOCALIPSE

Fiquei muito interessada em conhecer o que o senhor escreveu sobre o que chamou de "a segunda parte do reino milenar", pois, gostaria de saber como o irmão explica o versículo de Apocalipse 20:4, que fala da ressurreição "daqueles que foram degolados por causa do testemunho de Jesus e pela palavra de Deus", no início dos mil anos. Se o reino de Cristo no céu não se estenderá à terra em sua segunda vinda, então, a ressurreição destes já aconteceu? Mas, I Tessalonicenses 4: 16 e 17 não diz que essa ressurreição acontecerá no dia do arrebatamento?

Se o irmão não conseguir me esclarecer essas dúvidas, ficarei com as minhas próprias idéias a respeito desse assunto.

 

        Aqui estão algumas passagens importantes e alguns conceitos básicos que  lhe ajudarão no entendimento da mensagem de Apocalipse.

Drama do Livro. 

        Devemos ter em mente, de que, este é um livro do que João viu. É uma apresentação da revelação de Deus.

Deus usou sonhos e suas interpretações para revelar sua mensagem através de Daniel, ele usou a imagem das visões espirituais para revelar sua mensagem através de João. Muitas pessoas deixam de ver o poderoso quadro neste livro, porque se distraem com um exame pormenorizado de cada pequenino pedaço. Jamais podemos entender o significado de um texto em particular ou pormenor específico, senão meditarmos nos textos e contextos para conhecermos a mensagem global que as revelações de João nos dar; também, não é um livro para estudarmos um versículo isoladamente, nem um estudo para uma hora ou um dia, é preciso um estudo, duradouro, e meditativo.

 

 

Limites de tempo. 

        Já notamos que Jesus falou de coisas que tinham que acontecer, e determinou um tempo (aquela geração para as quais, ele anunciava, Mt. 24;34) O significado deste ponto não deve ser subestimado. Quando Deus colocou um limite de tempo para o cumprimento de sua palavra, os leitores não têm direito de ignorar ou negar isso. Algumas vezes as pessoas tentam evitar o significado dos limites de tempo de Deus apontando passagens, tais como:

 II Pedro 3:8, que diz: "para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia". Pedro está mostrando a paciência de Deus em adiar seu julgamento dos malfeitores. Ele não está negando o significado de todas as outras referências a tempo na Bíblia. Quando Deus fala de coisas que acontecerão logo, precisamos respeitar sua palavra.

Note o que Deus disse em Apocalipse para limitar o tempo do cumprimento:

"Cousas que em breve devem acontecer" (1:1; 22:6). 

       É um limite de tempo colocado no começo e no fim de Apocalipse, e não nos fala de algo muito distante, para séculos ou milênios, devemos lembrar que, Deus sabe que o homem é momentâneo, sua vida é curta, e por isso, Deus jamais iria dizer  “em breve” e demorar séculos para efetuar o que disse, Deus, usou o seu servo Pedro para nos alertar das palavras dos escarnecedores que iriam tirar o foco de cada um de nós, II Pd. 3:4, como você acha que seria, se Deus dissesse “em breve” e até hoje não cumprisse? A vida do homem é breve e, jamais vai entender “um em breve” de Deus, que não seja dentro de dias, ou, no Maximo meses, nunca porém séculos, portanto, devemos ter em mente em nossa interpretação os capítulos intermediários. Tal expressão ("em breve") é usada em outros lugares no Novo Testamento, onde podemos identificar que o cumprimento veio logo depois que as palavras foram ditas. Não falou de eventos no futuro distante: centenas ou milhares de anos mais tarde. Note, por exemplo:

 

- "Festo, porém, respondeu achar-se Paulo detido em Cesaréia; e que ele mesmo, muito em breve, partiria para lá. . . . E, não se demorando entre eles mais de oito ou dez dias, desceu para Cesaréia; e, no dia seguinte, assentando-se no tribunal, ordenou que Paulo fosse trazido" (Atos 25:4,6). Festo pretendia ir a Cesaréia "em breve", e então foi àquela cidade cerca de dez dias mais tarde.

- Paulo falou do seu desejo de visitar vários irmãos ou enviar mensageiros "em breve" (1 Coríntios 4:19; Filipenses 2:19,24; 1 Timóteo 3:14). Nestes casos, era sempre um período muito breve -talvez meses- nunca séculos!

"O tempo está próximo" (1:3; 22:10). 

        Para reforçar o conceito de que João estava escrevendo de eventos que logo se seguiriam, Jesus incluiu um lembrete adicional nos versículos de abertura e fechamento do livro. "O tempo está próximo"lembrava os leitores de que Deus logo cumpriria sua palavra neste livro. Palavras semelhantes em outras passagens falam de curtos períodos de tempo, e não de eventos que aconteceriam séculos mais tarde. Note:

- Jesus falou da capacidade de prever a chegada do verão vendo as folhas numa figueira (Mateus 24:32; Lucas 21:30). Isto poderia ser dias ou semanas antes do verão, mas não poderia ser milhares de anos.

- Jesus disse em Mateus 26:18, "O meu tempo está próximo". Ele morreu naquela semana. Seu tempo estava, de fato, muito perto.

-         João referiu-se várias vezes a festas que estavam se aproximando como "estando próxima" (João 2:13; 6:4; 7:2; 11:55). Está sempre claro que significava períodos de tempo muito curtos. Note nestes casos que o evento estava geralmente dentro de dias ou talvez semanas, mas jamais em séculos no futuro!

 

O Significado do Quinto Selo. 

        Para ajudar a entender a mensagem deste livro, veja bem em Apocalipse 6:9-11, onde Jesus abre o quinto selo:

"Quando ele abriu o quinto selo, vi, debaixo do altar, as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam. Clamaram em grande voz, dizendo:

Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram."

Estes versículos são muito importantes para o resto do livro de Apocalipse. Cristãos perseguidos, especialmente aqueles que sacrificaram suas vidas ao serviço do Senhor, (inclua-se aí, os profetas desde do inicio dos tempos, João Batista, Estevão, e até quem sabe Paulo que foi degolado ainda nesse tempo) estão pedindo justiça. Foram suas mortes em vão? Certamente que não. Eles haviam morrido na confiança de que Deus é justo, e agora estavam perguntando quanto tempo sua justiça seria adiada. Deus os assegura de que responderá com punição aos malfeitores, mas que ele permitiria que a perseguição continuasse por pouco tempo, antes de exercer sua vingança.(você tem noticia de alguém que foi decapitado, apedrejado ou queimado na fogueira, por causa da Palavra no atual século?)

Palavras chaves deste texto se relacionam com o desenvolvimento do plano de Deus através de todo o livro. Numerosas passagens no Apocalipse ilustram como Deus respondeu ao apelo destes santos martirizados. Note especialmente estas respostas divinas às orações dos santos mártires:

 

 

Deus vingou seu sangue

        O anjo vingador de Deus derramou o sangue dos inimigos dos santos (14:20). A terceira taça representava a merecida vingança contra aqueles que tinham matado os profetas (16:4-7). Deus vingou a causa dos santos no julgamento contra Babilônia (18:20,24; 19:2).

Deus ressuscitou os mártires

        Apocalipse 20:4-6 mostra a resposta final de Deus às orações dos mártires. Há uma clara conexão entre este texto e a oração do capítulo 6. Eles tinham sido decapitados por causa da sua fé, mas agora estavam sendo ressuscitados para reinar com Cristo! A vitória de Satanás foi somente temporária. A causa dos fiéis estava vingada!

Estas referências nos ajudam a ver que a vingança do sangue daqueles martirizados pela causa de Cristo é um tema central deste livro. Jesus está dizendo aos seus seguidores perseguidos: "Tenham paciência e suportem a dureza da perseguição ainda mais um pouco. No final da batalha, eu lhes garanto que meus servos fiéis serão vitoriosos. Não desistam!"

 

20:2 – Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, Satanás, e o prendeu por mil anos

Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, Satanás: A mesma descrição do diabo dada em 12:9. Mas aqui, o anjo do céu segura o dragão. Ele está sob o domínio deste servo do Senhor.

E o prendeu por mil anos: Claramente uma das frases mais polêmicas do livro. Devemos entender esta expressão como: totalmente literal, parcialmente literal ou totalmente simbólica? Consideremos estas três abordagens:

ŒTotalmente literal: um período de tempo de mil anos. Há diversas interpretações que dependem de uma explicação literal dos 1.000 anos aqui. Se não achar o milênio aqui, não terá nenhuma base bíblica para defender a doutrinas milenaristas. Além de não respeitar os limites de tempo ( as cousas que em breve devem acontecer...1:1b)citados várias vezes no livro do Apocalipse (1:1,3; 22:6,7,10,12); as teorias milenaristas dependem de muitas interpretações forçadas e contraditórias em diversos textos bíblicos. A interpretação literal normalmente coloca os 1.000 anos como um período literal futuro(anula, portanto o “embreve deve acontecer”).

 Parcialmente literal: um período de tempo longo (anos, literalmente representam tempo), mas não necessariamente de mil anos. Conforme estas interpretações, vários comentaristas acreditam que os 1.000 anos representam um período de relativa segurança, começando pouco depois de João escrever o Apocalipse e continuando até algum momento pouco antes da segunda vinda de Jesus. Esta interpretação normalmente diz que estamos atualmente no milênio, mas que ainda haverá um período curto em que Satanás terá maiores poderes(medite em Gn.3:15, Jesus já pisou a cabeça da serpente, pois seu calcanhar foi ferido na Cruz). Entre os problemas enfrentados com esta interpretação é a questão de sinais antes da segunda vinda de Jesus. Se Satanás será liberado para agir com mais potência do que ele possui atualmente, estas obras dele serviriam como sinais precedendo a segunda vinda de Jesus. A Bíblia, porém, ensina que Jesus virá como ladrão (2 Pedro 3:10),(ainda, que ninguém sabe a respeito daquele dia, Mt. 24:36). Se ninguém sabe, como o homem pecador pode saber algo que só Deus sabe? – medite.

Ž Totalmente simbólica: a figura não fala de tempo, mas da sujeição total do diabo. Nesta interpretação, que me parece a mais coerente das opções, o ponto seria um contraste entre o domínio total que o anjo exerce sobre o diabo, e o poder muito limitado deste para afligir os santos. Descreveria a situação atual do diabo, dominado e incapaz de exercer o poder perseguidor como o fazia no Apocalipse, mas ainda vivo e com algum poder para nos afligir.

Jesus, pisou a cabeça da serpente lá na cruz do Calvário, portanto, o resto seria com o anjo, pisou e o deixou solto, veja que o texto diz: é necessário que ele seja solto, por “pouco tempo” Jesus resurgiu dos mortos, acabou-se o pouco tempo, agora quem domina é o Senhor, Ap. 11:15

Mil representa totalidade, não um número literal ou limitado. Considere alguns exemplos:

●     Deus guarda a misericórdia em mil gerações (Êxodo 34:7; cf. Deuteronômio 7:9). Literal? Só até mil? Obviamente, não. O ponto é da fidelidade total do Senhor para com os seus filhos fiéis. 

●     Deus mandou a sua palavra para mil gerações (Salmo 105:8). Literal? Depois de mil gerações as outras podem desobedecer? Não, o ponto é que todas as gerações de Israel seriam obrigadas a guardar a lei. 

●     Um só homem, com a ajuda de Deus, perseguirá mil do inimigo (Josué 23:10). Literal? Não. Deus daria vitória total sobre os adversários.

●     Em Jerusalém restaurada, o menor cresceria para ser mil (Isaías 60:22). Literal? Não. Uma bênção completa.

20:3 – lançou-o no abismo, fechou-o e pôs selo sobre ele, para que não mais enganasse as nações até se completarem os mil anos. Depois disto, é necessário que ele seja solto pouco tempo.

Lançou-o no abismo, fechou-o e pôs selo sobre ele, para que não mais enganasse as nações até completarem os mil anos: Diante dos exemplos acima, devemos insistir em interpretar os mil anos do Apocalipse como um período literal de tempo? Acredito que não. 144.000 homens judeus e virgens não representam um número literal, nem representam homens, judeus ou virgens. Da mesma maneira, podemos entender que esta figura de mil anos não representa, necessariamente, um número literal de mil, nem um período de tempo.

Depois disto, é necessário que ele seja solto pouco tempo: A ênfase da figura está no contraste entre mil anos de prisão e pouco tempo de liberdade. O domínio do Senhor é total. O poder do diabo é extremamente limitado. Este versículo admite que o diabo não deixou de agir na época da igreja primitiva. Ele foi derrotado na cruz; o destino dele foi selado. Mas, Deus deixou que Satanás agisse, dentro de limites definidos pelo Senhor, até que ele foi, finalmente, lançado no lago de fogo (20:10).

Devemos fazer uma aplicação prática aqui. Jesus venceu o diabo e seus servos na cruz (Hebreus 2:14-15; Colossenses 2:15; 1 João 3:8; cf. Lucas 10:18; Mateus 12:28-29). Mas, a sua semente, ainda existe em nosso meio, para nos livrarmos dos seus efeitos, Tiago em sua epístola nos ensina “sujeitar-se a Deus e resistir ao Diabo e ele fugirá de nós” Tg. 4:7, quantas pessoa usam a semente do diabo e sempre dizem “não tem nada a ver” as cousas do mundo, devemos deixar para quem é do mundo. Deus deixa que, no uso de nossa vontade, usemos as sementes satânicas, mas não que o demônio ainda possa interferir em nosso relacionamento com nosso Deus Satanás age, dentro de certos limites, nos dias atuais. Não devemos nos enganar, achando o diabo totalmente impotente. Ele age, procurando nos destruir com o pecado. Mas o poder dele é menor do que o poder que Deus nos deu na sua palavra. O Senhor nos deu condições de resistir e vencer, na nossa vida, os ataques do inimigo (Tiago 4:7; 1 Pedro 5:8-9; 1 Coríntios 10:12-13), por isso, é que ele se encontra preso para não mais enganar as nações, o pouco tempo, terminou com a vitória definitiva, completa e eterna do nosSO Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Nada aqui nesse capitulo 20 é para o futuro, tudo foi escrito para servos de Deus que se achavam na dispersão.

Consulte Mateus 24 e veja que o Senhor Jesus fala para aquela geração e não para as vindouras de um futuro muito distante.

 

Qualquer duvida, por favor nos consulte, e teremos imenso parazer em tenta sanar.

Que Deus continue a lhe abençoar.

 

Por Olavo Sobreira

www.estudosbiblicosnolar.net

 

 

 

 

 

 

 

TermCoach Advertisement